A BUSCA POR UMA ESCOLA INOVADORA A PARTIR DA MERENDA ESCOLAR

Terezinha de Cássia Vinhal Queiroz

Resumo


Há uma grande preocupação em melhorar a educação de um país, uma vez que esta constitui a base para o desenvolvimento de uma nação com todas as suas atividades, o que deve ser uma conquista de todos, oferecendo algo que possa “matar a fome” fisiológica e do saber, trazendo benefícios para as suas vidas. Na infância, além da família, o ambiente escolar é um local propício para o desenvolvimento de ações de promoção de práticas alimentares saudáveis, como um espaço de socialização, uma vez que é durante a fase escolar que as crianças começam a suas relações com outros ambientes e formarão os diferentes contextos sociais que vão fazer parte das várias situações de suas vidas. Tendo como público alvo pré-escolares e escolares do ensino fundamental e médio da rede pública (municipal, estadual e federal), creches e entidades filantrópicas que ofertam ensino regular, esta pesquisa tem o objetivo de aprofundar os conhecimentos e refletir sobre a escola tradicional e a escola inovadora no que ser refere ao contexto da merenda escolar, realizando uma pesquisa qualitativa baseada em autores que defendam esse tema para termos uma visão dessa escola inovadora que possibilita no dia a dia a merenda escolar aos seus alunos.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, S. Cantinho do Amor. São Paulo: Cortez, 2014.

BRASIL. ______. Portal da Saúde. Pesquisa inédita vai mapear doenças e fatores de risco à saúde. 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2015.

______. Políticas de Alimentação Escolar. Brasília: Centro de Educação a Distância – CEAD, Universidade de Brasília, 2006.

______. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Sobre o PNAE. S.d. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2014.

BRIGGS, M.; SAFAII, S.; BEALL, D. L. Position of the American Dietetic Association, Society for Nutrition Education, and American School Food Service Association – Nutrition services: an essential component comprehensive school health programs. J. Nutr. Educ. Behav., v. 35, n.2, p. 57-67, mar./abr. 2003.

CASTRO, I. R. R. Perfil nutricional dos alunos da rede municipal de educação da cidade do Rio de Janeiro. Simpósio Obesidade e Anemia Carencial na Adolescência, São Paulo: Instituto Danone, 2000.

II CONFERÊNCIA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO, NUTRIÇÃO E SEGURANÇA. Relatório Final. Centro de Convenções de Pernambuco – Olinda, 17 a 20 de março de 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2014.

DEMARZO, M. M. P.; AQUILANTE, A. G. Saúde Escolar e Escolas Promotoras de Saúde. In: Programa de Atualização em Medicina de Família e Comunidade. Porto Alegre, RS: Artmed: Pan-Americana, 2008.

IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde - 2013. Rio de Janeiro, 2014.

NORO, J. E. La matriz eclesiástica en la formación de la escuela moderna. Configuración, crisis y perspectivas. Universidad de Santa Fe, Argentina, 2000.

______. Origem, glorificação e crise da escola moderna. Da escola sagrada à escola profanada. Investigación y Postgrado, v. 25, nº 2 y 3, p. 291-316, 2000.

FAO. Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura. Relatório, 2009.

PORTUGAL. Ministério da Saúde. Despacho nº 12.045 de 7 de junho de 2006. Programa Nacional de Saúde Escolar. Diário da República. [S.l.], n. 110, 7 jun. 2006.

VALENTE, L. F. S. A fome e a desnutrição. Determinantes Sociais. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1989.




Direitos autorais 2015 Organizações e Sociedade



Licença Creative Commons

Rev. Eletrônica Organ. Soc., Iturama (MG) - ISSN 2237-4779